Skip to content

>Diamante Mandarim : mutações,genética,tudo o que deves saber…

Abril 10, 2011

>

Diamante Mandarin (Poephila Guttata) :

Mede aproximadamente entre 10 e 12 cm . O macho apresenta a cabeça e o pescoço de cor cinzenta ou azul aço, esta tonalidade varia até tomar um tom castanho nas asas e o dorso. O bico e as patas são de uma intensa cor avermelhada alaranjada e está bordeado por uma delgada faixa de plumas negras que se estende desde a metade da parte superior do bico à metade da parte inferior do mesmo. O olho é negro com a íris castanha. Debaixo do olho e em sentido perpendicular aparece outro fino traço negro que delimita junto com a linha de igual cor do bico uma banda de cor branca. Atras a linha do olho aparece uma mancha auricular de intensa cor castanha. A garganta e a parte superior do peito são de cor cinza azulado com um barrado em negro.Debaixo deste barrado estende-se uma ampla banda de cor negra que vai de um flanco a outro. O resto do peito e o abdomen é de cor branca. As penas do rabo são brancas com um barrado negro. Os flancos são castanhos e profusamente pintados de branco.
A coloração da fêmea difere da do macho por carecer de manchas auriculares e do barrado negro do peito. Também não aparece a coloração nos flancos, nem o pintado, e o bico menos pintado. 

Os jovens mandarins são parecidos aos adultos , mas com a diferença que todo seu corpo incluindo o bico terem tonalidades de negro e cinza. 
conhecemos 12 subespecies. As mais conhecidas são a encontrada em Timor e nas ilhas próximas, Poephilia Guttata Guttata, chamada diamante mandarim de Timor e a subespecie Poephilia Guttata Castanotis que a encontramos em toda  Austrália excepto as zonas da costa de Nova Gales do Sul e Vitória.

Distribuição :

AUSTRALIA, a exepção das zonas costeiras de Nova Gales do sul e vitória

Habitat : 

Habita em zonas de campo aberto e em pradarias com arbustos espinhosos do género e pequenos bosques de acacia australiana. Adaptou-se bastante bem à sobrevivência em condições desérticas ou semidesérticas.

Vida em liberdade : 

O Diamante mandarím é um pássaro sociavel que na natureza se reúne em bandos a mais de 100 indivíduos.Uma vez que formam um casal este se mantém até que um dos exemplares morra. Aproveita as épocas de chuvas em que proliferam os insectos e a vegetação herbácea para criar.

Vida em cativeiro : 

O diamante mandarím introduziu-se na avicultura ao redor do ano 1860. São umas aves muito sociaveis, pacíficos e vivaços que coahabitam bem com exemplares de sua espécie como com outros pássaros. É um pássaro que pode viver tanto numa voadeira como em gaiolas sejam interiores ou como exteriores (resistem muito bem as baixas temperaturas, mas ajuda  ter um ninho para dormir, o mandarim prefere dormir dentro de um ninho que sobre ramas.


Alimentação : 

Sementes como miho painço, alpista e milho painço em rama como base de sua alimentação. Uma mistura de sementes já preparadas para exóticos é mas que suficiente. Como complemento podemos dar maçã… 
Necessariamente devemos proporcionarlhes um comedouro com Grit para fazerem  melhor a digestão. A areia natural por exemplo a da praia é excelente e pode substituir muito bem o grit. Excluiremos totalmente a areia absorvente de gatos, pois provocam-lhes  más digestões que podem levar à morte ou á doença do Diamante.
Em épocas de criação preferenciallmente ou segundo me pareçe durante todo o ano administrar papa a base de mistura com ovo. Ademais é quase obrigatório acrescentar-lhes vitaminas para reforçar os reproductores.

Criação :  


Estas bonitas e variadas aves, são especialmente fáceis de criar por regra geral, reproduzem-se tanto em gaiolas como em voadeiras. Isto não significa, no entanto, que todos cheguem a criar; alguns pais por que por natureza já são maus e , em outros, em especial os pássaros  com tamanhos exigentes, algumas mutações… Podem ser mais complicadas pelas condições que precisam.
Precisam de umas caixas ninho de 10 x 10 cm. O ninho constroem-no com qualquer material que encontrem, mas aconselha-se pôr fibra de coco por exemplo. Como média põem uns 4 a 6 ovos, que eclodem após uns 13 dias .Os pequenos são alimentados com semente, papa e papa insectívora,etc.Os pais cuidam zelosamente das suas crias,não sendo necessário amas(bengalims)
Sobre as 3 semanas as crias já têm penas, mas são alimentados por seus pais aproximadamente umas 2 semanas e mais oito para fazer uma muda total para ter uma coloração adulta.  Estas aves podem criar durante todo o ano e facilmente podem chegar às 4 posturas anuais.

Mutações : 

O que se tenha criado durante tantos anos deu lugar a que apareçam e se estabilizem múltiplas mutações de cor. A primeira mutação, o Branco apareceu em 1920 em Austrália.  Desde então seu número aumentou espectacularmente, dão-se inumeráveis mutaçõess de cor nesta espécie, as mais comuns são a bruna, dorso claro, isabela… também conhecemos mutaçõess de postura como os mandarins com crista, os quais não se devem cruzar nunca entre eles, já que o gene que dá lugar à crista resulta letal .Isto significa que algumas das  crias de uma combinação deste tipo morreriam dentro do ovo. No entanto o factor crista, é dominante sobre as penas normais da cabeça. Os resultados desta combinação costumam ser de um 50 % de crias com crista e o outro 50 % sem crista. (Mais detalhes no tópico de genética)

 Da esquerda para a direita :  clássico cinzento,factor bruno e cinzento de dorso claro

  Da esquerda para a direita :  pastel,face negra e factor bruno de dorso claro

   Da esquerda para a direita : peito negro, bochecha negra e peito laranja

 Da esquerda para a direita :  pinguim,prata ou pastel e mandarim de crista

 Da esquerda para a direita :  branco,pheo e panache

 Da esquerda para a direita :  bochecha castanho escuro,bochecha factor bruno e malhado

 Da esquerda para a direita :  eumo, ágata e bico amarelo

  Da esquerda para a direita :  dorso claro peito negro, peito pastel e face negra e factor bruno peito negro
 

Da esquerda para a direita :  dorso claro peito laranja, ágata de dorso claro e factor bruno peito e face negra

Observações importantes : 


Mutações Dominantes: Clássico ou cinza, face negra, pastel ou prata, crista, bochechas cinzas e bochechas Bruna
Mutações Recessivas: Peito negro, bochechas negras, peito laranja, Pinguim, Pheo, bico amarelo, Panache, Branco, malhado, Eumo e Agata .
Mutações Recessivas Ligadas ao Sexo:  factor Bruno, e dorso claro

Hibridos :  

É possível sua hibridação com quase todas as espécies de diamantes australianos e outras estrildias. As mais comuns são com babetes  de gola longa, curta, bichenow e senegal vermelho. 

hibridos de mandarim x modesto: 

 hibridos de mandarim x babete de gola larga: 
hibridos de mandarim x amarante de senegal: 
hibrido de mandarim x Lagonosticta vinacea e hibrido de mandarim x bengalim mosqueado:
hibridos de mandarim x bichenow: 
Curiosidades :   
A diferença em relação a outras aves é que bebe succionando a água; isto permite-lhe beber mais rápido e  aproveitar a água depositada em gotas sobre folhas ou em fendas nas pedras.

  

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: